sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Imagine Hot com Liam Payne - Vai ser assim?



   
-Vai ser assim?-Perguntei com os olhos cheios de lágrimas, depois do beijo sem vida que meu marido me deu.
-Assim o que?-Liam perguntou.
-Acabou?-Perguntei segurando as lágrimas que teimavam em querer escorrer pelo meu rosto.
-Provavelmente, sim.-Ele respondeu me olhando nos olhos. É difícil de acreditar que um casamento de três anos acabou. Não havia mais a magia, a intensa paixão do começo.
-Me desculpe...-Falei entre soluços, chorando.
-Por que está se desculpando, (seu nome)?-Falou se sentando ao meu lado, secando minhas lágrimas com o polegar logo em seguida.
-Me sinto culpada pelo fim do nosso casamento.-Falei e ele me abraçou.
-Não fala assim (seu nome)... Eu viajo de mais, não tenho nem como dar atenção a nossa filha.-Ele apertou o abraço.
-Sei disso...-Falei, conseguindo parar de chorar.
-Vou deixar você morando aqui nesse apartamento, você tem pleno direito, pois é mãe da minha filha. Eu vou ir embora agora.


     Ele deu um beijo na Marie, veio até mim me dando um beijo na testa e foi embora. Eu não queria que tudo acabasse. Eu amo muito o Liam, ele que tomou a iniciativa de terminarmos, mas sei que ele não me ama mais, e isso me deixa pior ainda.


Três meses depois...


     Sai finalmente da fossa em que eu me encontrava. Gemma me convidou pra irmos a uma balada, vou ir, vai ser melhor pra mim. Deixei Marie com minha mãe e me arrumei para irmos. Coloquei um salto preto, um vestido mais ou menos curto, mas que mostrava bem minhas coxas, igualmente preto. Apenas joguei o cabelo pro lado e fiz uma leve maquiagem.

...

     Gemma e eu chegamos á balada e começamos a dançar, soube que os meninos da One Direction também estariam lá depois que cheguei, mas nem me importei em ir vê-los. Eu quero que essa noite seja boa, sem problemas pra minha cabeça, quero me distrair um pouco. Chegou um rapaz bem bonito e começou a dançar comigo, então aproveitei para conversar com ele.


Liam Pov's


     Ver (seu nome) dançando com aquele cara me matou profundamente, era como se eu estivesse com ciúmes, mas tenho certeza que não estou. Eu não podia ter terminado com ela, não deveria ter feito isso com a mulher que eu amo, com a mãe da minha filhinha, mas realmente nunca tive tempo de dar atenção a elas, carinho e em fim, meu casamento já estava na rotina, e a rotina era a distância e falta de atenção.

     Vê-la dançando me deixou com um volume patético em minha calça. Tenho que acabar logo com isso, antes que ela me mate de vontade. Me levantei da onde eu estava sentado com os meninos e fui até ela, a puxando pelo braço a levando até o estacionamento.

-Liam, você ficou maluco?-Perguntou quando eu a prensei no carro.
-Não, mas fui quando sai de casa deixando você e a Marie desprotegidas. Olha (seu nome) Eu te amo muito, mas sinceramente dava pra ver no seu olhar que você não estava feliz, nem contente.
-Liam eu...
-Me escute (seu nome). Peço desculpas a você, eu errei, errei imensamente, agora nem que você e a nossa pequena tenham que viajar comigo, mas longe de vocês duas eu não fico.-Falei e a beijei. Aquele beijo tinha gosto de saudade, eu senti tanta falta dos lábios dela juntos aos meus, (seu nome) é realmente a mulher da minha vida.
-Eu te desculpo meu amor...-Falou em meio ao beijo e me encheu de selinhos depois.
-Eu te amo...-Falei e a beijei novamente. Eu estou louco para joga-la neste carro e fode-la, isso são pensamentos de um cara que está a mais de três meses sem sexo.
-Não imagina a vontade que eu estou de dar pra você...-Sussurrou no meu ouvido. Bastou este ato para o meu corpo estremecer.
-Vamos para o meu apartamento, ou pro seu?-Murmurei beijando seu pescoço.
-Para o meu.-Falou e tirou as chaves do carro no meu bolso, desligando o alarme e entrando no carro.

...

     No caminho conversamos sobre a nossa filha, estou morrendo de saudade da minha pequena. Finalmente chegamos ao apartamento.

-Quer alguma coisa, Liam?-Perguntou (seu nome) A puxei pela cintura a colando ao meu corpo.
-Só você...-Sussurrei no ouvido dela e mordi o lóbulo da orelha dela.
-Eu preciso de você...-Ela mordeu meu pescoço e começou a distribuir beijos por tudo.


     Fiz com que ela envolvesse as pernas na minha cintura, e a levei para o nosso antigo quarto. A coloquei no chão. Ela retirou minha blusa, e eu procurava pelo fecho do seu vestido, não achei, então ela foi me empurrando até a cama, me fazendo deitar. Ela começou a me beijar, levantei e ela ficou praticamente de quatro pra mim, o que me provocava ainda mais, (seu nome) em si, é provocante. A agarrei na cintura, trazendo sua bunda ao encontrou da minha ereção, me deixando ainda mais excitado. Abri o fecho do seu vestido lentamente, perceber que ela estava sem sutiã, tirou um sorriso canalha dos meus lábios. Consegui retirar seu vestido por completo, comecei a beijar seu pescoço e acariciar suas costas. Ela virou e me agarrou pelo pescoço.

-Preciso de você...-Sussurrou no meu ouvido, fazendo meu membro pulsar dentro da cueca. A essas horas eu já não respondo por mim.
-Você vai me ter.-Ela sorriu. Ela começou a tirar meu cinto, levantei e tirei minha calça, juntamente com a cueca. Fiquei por cima dela novamente, ela se arrepiou, nos cobri com o edredom.


     Retirei a calcinha dela, e apertei seus seios, ela sorriu.

-Tem camisinha?-Perguntei rosando meu membro na entrada dela.
-Pode ir, eu tomo remédio.

     Entrei lentamente nela, começando com movimentos igualmente lentos, gosto de ir assim com ela, e vê-la implorar por mais. Comecei a apertar sua cintura, os gemidos que saiam de sua boca eram falhos e roucos.

-Liam, mais...-Gemeu (seu nome).
-Por que eu faria isso?-Falei em seu ouvido e ela deu quase que um grito de prazer.
-Por favor...-Gemeu sofridamente. Aumentei o ritmo, dando fortes estocadas nela, a forma com que ela se contorcia, eu senti tanta saudade desse corpo, desses gemidos, dessa expressão dela quando transamos, eu não sei como fiquei longe dela por três meses.

     Ela teve um perfeito orgasmo, gozamos juntos e não poderia ser melhor. Deitei ao seu lado, logo a puxei para deitar em meu peito, como antigamente, e adormecemos.


Três meses depois...


     Eu voltei a morar com a (seu nome) e com a minha filhinha, está tudo tão bem, normalmente eu estou conseguindo cumprir o que prometi, e está sendo incrível!

-Amor, eu e a Marie temos uma notícia pra te dar.-Disse (seu nome) com nossa filha no colo.
-Fala meu anjo, está me preocupando (seu nome).-Falei curioso com essa notícia que ela quer me dar.
-Estou grávida.-Sorriu. Fiquei meio sem reação, mas logo que cai na real, a abracei juntamente com a nossa filha.


Fim.


_________________________________________________________________________________________________

Oi, oi meus amores! Tudo bem com vocês? Está ai o imagine com o Daddy, sei que está curtinho, mas espero que tenham gostado.

Continuem acompanhando o blog, já estou escrevendo os novos capítulos das fics e brevemente posto!



Beijos, amo vocês!
Xoxo'



domingo, 7 de agosto de 2016

Imagine Fofo/Hot com Zayn Malik- Coração dourado.


Zayn Malik Pov's


             Lembro-me do dia em que a conheci, em que a vi pela primeira vez, ela vestia uma calça jeans, uma blusa azul e um casaco preto largo, muito maior que ela, ela usava também cachecol, e uma touca, estava bem agasalhada, era inverno em Londres, até hoje não me recordo de um inverno mais frio e intenso que aquele. Ela estava linda e foi exatamente por aquela garota que eu me apaixonei, a garota inocente que não deixava de ser atrevida, o fato é que até hoje eu me pergunto o porquê de tudo ter sido tão difícil para que nós pudéssemos ficar juntos, e naquela noite nos reencontramos, quis o destino e isso foi uma coisa bem óbvia, e vou contar-lhes agora...

            ''Já era noite, quase madrugada na linda cidade  de Londres, eu estava voltando á pé para o meu apartamento depois de um dia cansativo de sessões de fotos. Eu andava lentamente, o frio era tão intenso, mal sentia a ponta do meu nariz. Logo a minha frente uma garota, também muito bem agasalhada, estava perdida em seus pensamentos, distraída. Logo um carro invadiu a calçada, estava em uma velocidade incrível, a acertou em cheio.


             Corri para ajudá-la depois que o carro deu a ré e fugiu do local, ela estava muito machucada, um corte em seu rosto sangrava muito. Queria ter certeza que ela está bem, queria poder deixá-la bem, e ela tem que estar como eu espero. Alisei seu rosto, ela estava desmaiada sobre a grama levemente coberta com a neve branca, foi a observando que percebi que ela era linda, tenho a impressão de conhece-la.

             Peguei meu celular discando para a ambulância, não havia ninguém na rua além de nós dois. Ela não expressava algum movimento, algo que me deixasse mais tranquilo, eu estava apavorado em ver a garota caída, totalmente apagada.


             Ela havia mudado tanto, e realmente cumpriu o prometido, de depois da noite estrelada em que lhe dei o colar, ela jamais tiraria apesar das circunstâncias.

             A ambulância havia chegando, logo os caras foram a colocando dentro dela, a acompanhei, agora que a achei não iria deixa-la, jamais vou deixa-la novamente.

 ...


             Chegando no hospital a levaram ainda desacordada, eu estava desesperado, queria falar com ela, a abraçar, a beijar...
             E só depois de 45 minutos torturantes o médico resolveu vir até mim e falar.

-Ela está bem rapaz, só se machucou um pouco, o motorista não prestou socorro?-Perguntou. Era um alivio ela estar bem, naquele momento, mas eu sabia que ela era forte, ainda é.
-Realmente não, quando posso vê-la?
-Em instantes liberarei á você.

             Não foi em instantes, demorou mais ou menos 30 minutos para que ele me chamasse novamente, e foi longo esperar para vê-la. Entrei no quarto e ela lançou seu olhar sobre mim, continuava ainda com aquele olhar meigo.

-Você?-Parecia inacreditável para ela.
-Eu.-Sorri pra ela, que me olhou sem compreender. Me aproximei da cama, ela estava pálida, aparentemente muito fraca.
-Fazem 7 anos...-Lembrou-me de algo que jamais esqueci.
-O destino nós entrelaçou novamente, eu ainda te amo Seunome.
-Zayn eu...-Iria falar mas parou, sentei-me na cama ao seu lado, tocando sua mão em seguida.
-Você?-Induzi que ela continuasse.
-Eu nunca deixei de te amar.


             Na tarde seguinte  ela foi liberada do hospital. A acompanhei até o apartamento, ela vivia sozinha nele, o que é triste porque nossos planos sempre foram dividi-lo.


-Entra.-Assim fiz. Tinha uma vontade enorme percorrendo o meu corpo, um calor diferente, que eu só sentia por ela, meu coração ficou acelerado, e meu impulso falou mais alto a beijando. Lembro que ela tentou romper o beijo no começo, mas logo concedeu. Ela alisou meu rosto parando a mão no mesmo, enquanto ambas as minhas mãos estavam sobre sua cintura que algumas vezes a apertava.
           

             Ela foi nos conduzindo a algum lugar de seu apartamento, seu quarto. Estava escuro, já era noite, já que ficamos em um parque conversando após ela ser liberada. Não fiz questão de acender a luz, ela sempre preferiu o escuro.

             Logo retirei a jaqueta preta de couro que eu usava, e ela seu moletom azul marinho que a levei hoje pela manhã, fazendo com que seu  cabelo soltasse do coque improvisado de antes. A beijei novamente, procurando o fecho do seu sutiã, logo que o achei, abri. Retirei meus tênis com os próprios pés, juntamente com as meias, ela aparentemente fez o mesmo, tínhamos certa habilidade nisso. Ela tirou minha camiseta em um movimento rápido, a conduzi até sua cama, a jogando nela logo em seguida.

             Ela me beijou abrindo o botão e o fecho da minha calça jeans preta, saí de cima dela e a retirei, ficando apenas de cueca. Eu estava tão excitado, louco por ela. Retirei minha cueca e ela sorriu maliciosa ao ver o meu membro, percebi a malicia no seu olhar que foi diretamente a ele.       Voltei a ficar por cima dela, e comecei a beijar o seu pescoço, desci até a sua barriga e passei levemente a mão sobre sua cintura, logo fui encostando devagar a minha boca em sua barriga, ela se contorcia, tentava disfarçar mas dava para perceber pela sua respiração descompensada.
              Fui descendo cada vez mais, ela com um grande e malicioso sorriso nos lábios, porém eu podia ver o medo em seus olhos, pelo pequeno fato dela estar se entregando novamente a mim, depois de tanto tempo. Quanto mais eu descia, mais excitada ela ficava, quando encostei meus lábios em sua intimidade, consegui ver  a expressão de prazer que se formou no rosto de Seunome, aquilo que ela desejava muito. Ela pegou nos meus cabelos como uma forma de carinho, e a cada gemido dela, ela puxava o mesmo. Eu trabalhava ainda mais com a língua, imitando penetradas enquanto estimulava seu clitóris  com os dedos.

              Percebi então que ela não aguentaria muito tempo, parei meu trabalho por lá e ela me olhou com indignação, subi beijando sua barriga, e depois ela selou meu lábios, em um movimento rápido ficou por cima de mim, ela enquanto beijava-me, encaixou-me dentro dela, rompendo nosso beijo com um alto gemido. Envolvi minhas mãos em sua cintura, começando a penetra-la fortemente, enquanto ela gemia muito. Com uma das mãos puxei seu cabelo, ela ama isso. As estocadas eram fortes, e rápidas, da forma que ambos os dois mais sentimos prazer.


-Meu amor...-Disse Seunome entre seus gemidos.
-Diz que ainda me ama...-Pedi, enquanto entrava e saia dela com força.
-Eu... Eu te amo Zayn...-Falou sofridamente.


              Invertemos a posição, agora eu estava sobre ela. Aquela expressão de prazer no rosto dela, é com certeza a melhor imagem que eu já vi em toda a minha vida, e sim, quero ver até o fim dela.


-Amor... eu...-Ela estava quase lá. Por fim, seu orgasmo chegou, a fazendo delirar completamente. Ela arqueou as costas fazendo com que nos encaixássemos ainda melhor.

 
               Logo eu cheguei ao meu climax, gozando dentro dela. Uma decisão não tão pensada, mas que eu tanto desejo.


-Foi incrível...-Ela falou assim que saí de dentro dela, me deitando ao seu lado.
-Foi perfeito meu amor...''



             Aquele dia ficou guardado em nossas memórias... O dia em que fizemos a nossa pequena Julie, e assim, formamos um lanço infinito para termos nossas vidas unidas. Hoje em dia, 5 anos depois, meu casamento com Seunome está cada vez melhor, ainda mais agora que teremos nosso garotão! E ela irá me proporcionar a felicidade de ser pai novamente.
             E hoje posso dizer, que mesmo com as dificuldades que o destino colocou em nossas vidas, ele mesmo nos uniu naquela noite fria na linda cidade de Londres...




___________________________________________________________________________________________


Oii, oii meus amores!! Tudo bem com vocês??
Então, eu iria explicar meu sumiço por aqui mesmo nas notas finais como eu sempre fazia, porém, o caso dessa vez exige mais explicações e eu quero contar e explicar á vocês detalhadamente.

Digamos que a partir de agora sim, terei como voltar com o blog na ativa.

Então brevemente (o mais breve possível, prometo) eu irei publicar um post aqui no blog com as explicações e as novidades (Que são muuuuuuitas) pra vocês, okay?


Continuem acompanhando o blog!!

COMENTEM, sua opinião é extremamente importante pra mim.
Beijos, amo vocês!
Xoxo'